Finais de vida precoces: estudo paleopatológico (macroscópico, microscópico e documental) das causas de morte infantis com especial interesse na porosidade extracortical (PhD)

Perante a uniformidade do osso ao universo de etiologias responsáveis pelas altas taxas de mortalidade infantil, nomeadamente entre os 0-6 anos, a porosidade aparece como uma manifestação única, a par, dos indicadores de stresse fisiológico. Este estudo tem como objetivo analisar a topografia do relevo cortical ósseo macroscopicamente e por microscopia de varrimento, auxiliando a diferenciar entre a porosidade fisiológica e a patológica, e esclarecer características microestruturais diferenciais das doenças. Esta investigação caracteriza-se pela inovação metodológica e multidisciplinar, indispensáveis para entender a
problemática que pairava e ceifava a vida das crianças. Pretende-se, portanto, contribuir para a melhoria do diagnóstico paleopatológico citando Dittmar e Mitchell (2016:2), mediante: “A combinação de evidências históricas e arqueológicas […], necessária para fornecer uma
imagem mais completa do papel [da criança]” na sociedade e nas condições de vida pretéritas.

Duration: 2016-2020

Coordinator (PI): Álvaro Monge Calleja (CIAS)

Participants: Ana Luísa Silva (as Supervisor, CIAS), Maria Antónia Lopes
(FLUC, University of Coimbra)

Funding: POCH (Portugal)