Como o genoma de 14 esqueletos portugueses antigos conta a história das invasões na Idade do Bronze

Uma equipa repleta de cientistas portugueses, que contou também com a participação de membros do CIAS, fez a reconstituição histórica das misturas populacionais na Península Ibérica há cerca de 4000 anos, na transição para a Idade do Bronze.

O CIAS deu o seu importante contributo para este estudo interdisciplinar através da participação dos investigadores Rui Martiniano ,Licínio Manco, grupo de Genes, Populações e Doenças, Tânia Pereira, Maria João Coelho, Daniel Fidalgo e Ana Maria Silva, grupo de Populações e Culturas do Passado.

“(…)Esta investigação, além de revelar os primeiros genomas completos da pré-história portuguesa, reflecte o potencial de abordagens interdisciplinares na reconstrução da história genética das migrações humanas, ao envolver investigadores de várias áreas: geneticistas, antropólogos e arqueólogos”, diz a bioantropóloga Ana Maria Silva, da Universidade de Coimbra e também da equipa (…).”

Para ler a notícia na íntegra, clique no link:

https://www.publico.pt/2017/07/27/ciencia/noticia/como-o-genoma-de-14-esqueletos-portugueses-antigos-conta-a-historia-das-invasoes-na-idade-do-bronze-1780549

Consulte o artigo através do link:

http://journals.plos.org/plosgenetics/article?id=10.1371/journal.pgen.1006852

Como o genoma de 14 esqueletos portugueses antigos conta a história das invasões na Idade do Bronze

Leave a Reply